Quinta, 23 Novembro 2017 17:40

Secretaria de Saúde presta contas à Comissão de Fiscalização da CLDF

A Comissão de Fiscalização, Governança, Transparência e Controle da Câmara Legislativa recebeu, na quarta-feira (23), a Secretaria de Saúde do DF, para a prestação de contas do relatório das atividades do 2º quadrimestre de 2017 do órgão. O secretário de Saúde do DF, Humberto Fonseca, falou sobre a execução do Programa Saúde da Família a ser implantado até junho de 2018.

“Queremos 100% de Saúde da Família. Muitas unidades básicas de saúde implementaram e estão funcionando. Os profissionais da saúde são favoráveis ao programa e nós veremos a melhoria no sistema público de saúde”, relatou Fonseca.

A saúde da família está no primeiro nível de atenção no Sistema Único de Saúde (SUS) e é considerada uma estratégia primordial para a organização e o fortalecimento da atenção básica. A partir do acompanhamento de um número definido de famílias, localizadas em uma área geográfica delimitada, são desenvolvidas ações de promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais frequentes.

Na ocasião, o presidente da Comissão, deputado Rodrigo Delmasso, solicitou ao secretário a nomeação de 134 técnicos em nutrição e 168 técnicos administrativos aprovados em concurso público da Secretaria de Saúde, realizado em 2014. O secretário Humberto disse que vai trabalhar junto à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPLAG) para agilizar as nomeações ainda este ano, mas segundo ele, a quantidade de nomeações para 2018 ainda não foi definida.

Outro ponto do relatório foi a falta de leitos nos hospitais. Atualmente, há 627 leitos de enfermaria e 600 leitos de UTI, bloqueados por falta de pessoal e renovação de contratos de manutenção. “Estamos em discussão com a governança para fazer as nomeações de servidores para o ano que vem. Precisamos de 1.200 técnicos em enfermagem. A grande dificuldade em reabrir parte dos leitos também é pela falta de renovação dos contratos de manutenção. Todas as UPAS funcionavam através de contratos temporários, que foram extintos. Contudo, já conseguimos a renovação dos contratos e os leitos já serão desbloqueados”, relatou Fonseca.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Comissão de Fiscalização.